quarta-feira, 23 de setembro de 2009

PEDIDO DE EXPLICAÇÕES AO GOVERNADOR ANDRÉ PUCCINELLI, DO MS (PMDB), OFÍCIO DA ABGLT

"Ofício PR 478/2009 (TR/dh) Curitiba, 23 de setembro de 2009

Ao: Exmo. Sr. André Puccinelli

Governador do Mato Grosso do Sul

Senhor Governador,

Assunto: Explicações pede-se

A ABGLT - Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais - é uma entidade de abrangência nacional que congrega 220 organizações congêneres e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população. A ABGLT também é atuante internacionalmente e tem status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas.

Atentos ao panorama político nacional, tomamos conhecimento dos relatos de sua fala ontem (22/08) quando o senhor teria se referido ao Ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, de "Viado fumador de maconha".

Ficamos surpreendidos com essa declaração, utilizando da homossexualidade para menosprezar uma pessoa, uma vez que o senhor foi um dos apenas três governadores que prestigiaram as Conferências Estaduais LGBT em 2008, e que seu governo apoia o Centro de Referência LGBT de Campo Grande, bem como a Associação das Travestis e Transexuais do Mato Grosso do Sul.

Sabemos que na hora do nervosismo às vezes queremos agredir, mas, se sua declaração foi reproduzida fielmente pelos meios de comunicação, o senhor foi infeliz, ao utilizar-se de um termo denotando a homossexualidade como forma de menosprezar outra pessoa. Desta forma, o senhor reforçou o preconceito à homossexualidade, atitude pouco condizente com o decoro de um político do naipe do senhor.

Neste sentido, seria importante que o senhor explicasse o acontecido e deixasse claro, publicamente, que não tem preconceito contra os homossexuais.

Afinal, cabe a todos nós, sobretudo aqueles que têm responsabilidades por gerir políticas públicas, combater toda e qualquer forma de preconceito e discriminação, conforme reza o Inciso III do Artigo 3º da Constituição Federal.

Salientamos que outros parlamentares e políticos que fizeram declarações desta natureza nos últimos anos tiveram se retratarem em seguida.

Na expectativa de sua manifestação pública neste sentido, colocamo-nos à disposição pelos telefones 41 9602 8906, e despedimo-nos

Cordialmente

Toni Reis

Presidente"
=============
Em 30 de setembro, o presidente da ABGLT divulgou a resposta recebida do governador do Mato Grosso do Sul. Veja o ofício digitalizado:

3 comentários:

Rita Colaço Brasil disse...

Minc diz que governador que o atacou é homossexual enrustido

23 de setembro de 2009 • 10h39
• atualizado às 10h41
Laryssa Borges
Direto de Brasília
http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI3991274-EI7896,00-Minc+diz+que+governador+que+o+atacou+e+homossexual+enrustido.html

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, voltou a ironizar o governador do Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), e afirmou que o gestor é um "homossexual enrustido".

Na terça-feira, o governador classificou o ministro de "veado e fumador de maconha" e disse que o estupraria em praça pública caso voltasse ao Estado para participar de eventos ambientais.

"Ele deve fazer uma análise mais profunda da declaração dele sobre o estupro em praça pública e examinar e tratar com mais carinho o homossexualismo que existe dentro dele próprio e talvez aceitar isso com mais razoabilidade. O Freud (Sigmund Freud, psicanalista) explica que muitas pessoas que têm o homossexualismo enrustido tentam matar o homossexual que há dentro dele próprio", disse o ministro, descartando pretender processar Puccinelli pelas agressões. "Eu sou um defensor conhecido dos direitos dos homossexuais contra todos os preconceitos. Agora acho que o povo e os tribunais têm de julgar se ele está apto para exercer o governo do Estado."

Ainda na tarde de ontem, o próprio governador sul-matogrossense pediu desculpas pelas ofensas dirigidas ao ministro e, em nota, disse que se tratava de uma "brincadeira".

"É um ataque gratuito. Na verdade ele professou um estupro ao Pantanal e um estupro a ele próprio", afirmou Carlos Minc. "São os eleitores e naturalmente os tribunais que vão julgar se uma pessoa com esse nível de desequilíbrio está apta para exercer o governo do Estado. Esse nível para onde ele está levando o debate, mais para as páginas policiais ou para o divã de psicanalistas, deve ser julgado pelos eleitores ou pelos promotores que acharem que ele está incapacitado para exercer o governo do Estado."

Para o ministro, independentemente dos ataques feitos pelo governador, o governo continuará coibindo o plantio de cana-de-açúcar em regiões como o Pantanal e tentando evitar desequilíbrios ambientais promovidos pela agricultura sem controle.

"(O governador) É uma pessoa desequilibrada. Aliás, tem de um lado o desequilíbrio ambiental que ele provocaria se a gente deixasse destruir o Pantanal com cana-de-açúcar, e um desequilíbrio patológico também", ressaltou o ministro. "Estou acostumado a embate político com ruralistas, com governadores, mas em cima de ideias. Uma agressão como essa é difícil até imaginar como uma pessoa dessa pretende exercer o governo do Estado."


Mais notícias de Política »

Redação Terra

RICARDO AGUIEIRAS disse...

Bem, sobre o que falou o governador de Mato Grosso do Sul, quase nem dá para falar, de tanta perplexidade que gera. Quer dizer que ainda ameaçar com estupro, como se o governo lhe desse o direito e institucionalizar o estupro. Ou seja, esse país é muito mal representado, tadinho, e esse povo é cada dia mais pisoteado com tudo. Não bastasse empobrecimento, falta de boa educação e saúde públicas, respeito, aposentadoria digna, etc, etc, etc, ainda fazem nosso ouvido de pinico. Agora, quanto ao Minc, também não gostei da resposta. O termo "homossexualISMO"; será que esse ministro NUNCA teve a oportunidade de se atualizar perante as centenas de artigos e posicionamentos sobre o assunto? Um ministro do meio ambiente? Pode-se uma Ecologia distanciada dos Direitos Humanos??
Ricardo
aguieiras2002@yahoo.com.br

Rita Colaço Brasil disse...

Jandira Queiroz, na listagls comentou o ofício da abglt.
A publicação de seu comentário aqui foi precedida de pedido de autorização à sua autora.

"Olá a todxs,
Toni, parabéns pela carta pedindo explicações. No entanto, acho que faltou menção à outra parte da declaração do governador, quando disse que se o ministro Minc passasse pela sua frente, ele o estupraria! Isso é MUITO GRAVE! A declaração desse homem não foi apenas um reforço ao preconceito que não condiz com o decoro de um político do "naipe" de um governador. Foi também. Mas muito além disso, foi uma ameaça de violência com base no sexismo que, na minha opinião, deveria levar ao impedimento da atividade política desse senhor. Apenas uma explicação e retratação não cabem nesse caso aí, na minha opinião.
Eu gostaria de ver uma carta da ABGLT - e das outras redes também! - atacando também essa segunda parte da declaração.
Abraços, Jandira"